Quinta-feira, 31 de agosto

NEWSLETTER – 31/08/2023

Com impacto adicional de R$ 15 bilhões em 2024, Congresso Nacional aprova retorno da política de valorização real do Salário-Mínimo

O Congresso Nacional aprovou, em 24 de agosto, a MP 1.172/2023 que restabelece a política de valorização real do salário-mínimo (SM), que vigorou no Brasil entre 2007 e 2019. Segundo o texto aprovado, o aumento real do SM a partir de 2024 será equivalente à taxa de crescimento do PIB de dois anos anteriores à data de fixação do SM, corrigido pela inflação anual apurada pelo INPC de janeiro a dezembro do último ano.


Leia esta e outras análises no Relatório Executivo da GO Associados no site


No Brasil, racismo estrutura as desigualdades

Nunca é demais enfatizar o peso, o papel preponderante do racismo na estruturação das imensas desigualdades existentes neste país, que, aliás, se destaca mundialmente nesse quesito. Um bom momento para reiterar essa afirmação é o lançamento, nesta quarta (30), em Brasília, do Pacto Nacional pelo Combate às Desigualdades no Brasil.


Leia a matéria na íntegra


Por que a desigualdade é tema para empresários?
A desigualdade no Brasil é uma velha conhecida, mas sempre que traduzida em números, choca. Aqui vão alguns, só para lembrarmos quem somos. Os 10% mais ricos do país detêm 59% de toda a renda nacional; 75% da população negra está entre os 10% mais pobres do país; a evasão escolar entre alunos que vêm de famílias das classes A e B é de 4%, e entre os estudantes de classes C e D, de 17%.

Leia a matéria na íntegra



Comunicação tem dupla lição na agenda da sustentabilidade: praticar e informar
O setor de comunicação carrega um protagonismo duplo na agenda da sustentabilidade. Além de informar o público sobre os caminhos das boas práticas, precisa fazer o próprio dever de casa sobre o tema, dizem especialistas e lideranças da indústria.

Leia a matéria na íntegra



Crescem emissões de dívidas rotuladas
A intensificação das discussões sobre as questões climáticas e sociais deve colocar combustível adicional nas emissões rotuladas no mercado de capitais. As previsões indicam um pico de transações este ano no mundo e aceleração no Brasil, puxadas por uma fila de operações que devem ir a mercado no segundo semestre. A organização britânica Climate Bonds Initiative (CBI) estima que os títulos com rótulos ambiental, social e de governança (ESG, na sigla em inglês) atinjam o volume global de US$ 1,5 trilhão em 2023, contra US$ 900 bilhões no ano passado.

Leia a matéria na íntegra

Deixe um comentário

Conteúdos relacionados