Terça-feira, 07 de junho

DIVERSIDADE E INCLUSÃO
Presença de negros em posts de marcas aumenta, mas ainda está abaixo da representatividade
Propmark – 06/06/2022

Segundo o ‘Diversidade na Comunicação de Marcas em Redes Sociais’, estudo anual realizado pela Elife e a agência SA365, aumentou em seis pontos percentuais a representação negros e pardos na publicidade brasileira. O levantamento, que tem como objetivo identificar a presença de grupos minoritários na comunicação das marcas, é feito em quase 12 mil posts dos 20 maiores anunciantes do Brasil.

VEJA MATÉRIA NA INTEGRA

MERCADO DE TRABALHO
Sanofi abre programa de estágio para negros
Revista Raça – 06/06/2022

A multinacional francesa da indústria farmacêutica, Sanofi, anunciou seu primeiro Programa de Estágio 100% afirmativo para pessoas pretas e pardas. O programa visa garantir não só a diversidade da empresa, como também a inclusão da pessoa jovem, com uma estrutura de desenvolvimento para pessoas talentosas em começo de carreira.

VEJA MATÉRIA NA INTEGRA

DIVERSIDADE E INCLUSÃO 2
Negritudes 22 debate diversidade e representatividade no audiovisual nesta terça; veja programação
G1 – 07/06/2022

A Globo irá realizar, hoje, o evento Negritudes 22 – Viva as narrativas pretas. O encontro acontecerá no gexperience, espaço interativo da empresa no shopping Market Place, em São Paulo, e irá debater como o conteúdo audiovisual pode valorizar narrativas mais diversas e inclusivas. O evento também será transmitido ao vivo pelo Globoplay.

VEJA MATÉRIA NA INTEGRA

REPRESENTATIVIDADE
Pesquisa: 23% dos negros no Brasil se vêem retratados como criminosos na TV
UOL – 06/06/2022

Ontem foi divulgada a pesquisa internacional “Refletindo-me: Representação Global na Tela”, feita pela empresa Paramount Global em 15 países, incluindo o Brasil. O levantamento mostrou que a representatividade nas telas precisa melhorar urgentemente: 79% das pessoas ouvidas concordam que é preciso ter mais diversidade em programas de TV e filmes. No Brasil, 23% dos negros se sentem representados como criminosos em filmes e séries, enquanto 24% desse grupo dizem ser retratados como pessoas perigosas no audiovisual.

VEJA MATÉRIA NA INTEGRA

DIVERSIDADE E INCLUSÃO 3
É preciso mudar a cultura corporativa
O Estado de S. Paulo – 07/06/2022

Em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo, Ruy Altenfelder e Claudia Buzzette Calais, respectivamente Advogado e Presidente da Academia Paulista De Letras Jurídicas e Diretora-Executiva da Fundação Bunge, falam sobre a importância de mudar a cultura corporativa para que haja mais inclusão, principalmente em posições de liderança.

VEJA MATÉRIA NA INTEGRA

Deixe um comentário

Conteúdos relacionados